15
Sex, Dez

“Projeto Social de recuperação de pessoas viciadas em álcool e droga está em curso” – afirma Dom Arlindo Furtado

Igreja
Tipografia

O bispo de Santiago, D. Arlindo Furtado, prevê realizar, a curto prazo, a concretização de um dos “maiores projectos sociais” da Igreja Católica que consiste num centro de acolhimento a ser construído em João Varela (Santiago).

As obras deste centro de acolhimento dos desafortunados devem iniciar-se nos primeiros dias do mês de Março.

“Trata-se de um projecto que visa, em colaboração com a Fazenda da Esperança, do Brasil, recuperar pessoas dependentes de álcool e drogas”, disse o Cardeal D. Arlindo, citado pela Agencia Cabo-verdiana de noticias. 

Em Novembro de 2015, Dom Arlindo, juntamente com o bispo do Mindelo, Dom Ildo Fortes, e o então ministro do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território, Antero Veiga, em-baixador de Cabo Verde no Vaticano, visitaram em São Paulo, na localidade de Guaratinguetá, a Fazenda da Esperança, onde puderam ver experiências bem sucedidas de pessoas recuperadas depois de passarem pelo mundo da droga e do alcoolismo.

Para o bispo de Santiago, o projecto de João varela é um dos “maiores no domínio social” que a Igreja Católica em Cabo Verde está empenhada em levar a cabo.

“Felizmente, já temos a confirmação do financiamento do nosso projecto, ainda que seja parcial”, garantiu o prelado, recordando que as obras de construção das infraestruturas de acolhimento dos jovens deveriam iniciar-se em Novembro, mas não aconteceu por causa de um “percalço” que houve.

Segundo Dom Arlindo, o contratempo tem a ver com a doença do casal que deveria tomar conta das obras, mas já há garantias da parte dos dirigentes da Fazenda da Esperança que no início de Março virão a Cabo Verde os responsáveis para darem início à construção das infraestruturas.

“Temos cá um ponto focal que, em colaboração com a Fazenda da Esperança e autoridades municipais (da Praia), está a tratar de todo o processo”, afiançou o bispo de Santiago, que se mostra esperançado que desta vez as obras em apreço terão início.

O desejo do Cardeal Dom Arlindo Furtado é que dentro de um ano, após o começo das obras, o projecto esteja a funcionar, o que trará “muita alegria” não só para ele, como também para toda a Diocese e todo o país, porque “muitos dos irmãos serão ajudados a libertar-se dos vícios das substâncias psicotrópicas”.

O custo parcial do projecto é de cerca de 600 mil euros, sem contar com o complemento da água e da electricidade que deve ser uma comparticipação do Governo de Cabo Verde.

“Trata-se de um projecto muito bom que precisa de acontecer e Deus vai nos ajudar a realizá-lo porque será muito bom para a sociedade cabo-verdiana”, desejou o mais alto responsável da Igreja Católica em Cabo Verde.

O anterior Governo de José Maria Neves esteve “engajado” neste projecto social da Igreja Católica, mas segundo Dom Arlindo o actual também está “completamente aberto” pelo que já existem contactos nesse sentido e, por isso, o prelado diz-se “animado”.

“É um investimento social. Não é uma ajuda à Igreja. O Governo, as famílias e a Igreja estamos todos interessados para que de facto este projecto vá para a frente, porque quantos menos viciados tivermos melhor é para o país”, indicou.

Para Dom Arlindo, o objectivo do projecto não é apenas fazer o trabalho de desintoxicação, libertação e orientação das pessoas, mas também os promotores vão colaborar nos programas de sensibilização, a nível nacional, através da rádio e televisão para ajudar os jovens a tomar “boas decisões na vida e fazer boas opções e não se enveredarem pelos caminhos dos vícios de droga”.

O bispo de Santiago não tem dívidas de que se está diante de um projecto que vai interessar sobremaneira o Governo, se este estiver atento aos problemas sociais.

“Não é uma ajuda feita à Igreja”, reiterou, acrescentando que se trata de um “investimento social” para o bem dos cidadãos e da “tranquilidade social de todos”.

TN - Redação

 

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS